segunda-feira, 13 de abril de 2015

Agent Carter

Comecei a acompanhar a série Agent Carter simplesmente porque estava querendo ver uma série em inglês e não consigo assistir as que acompanho atualmente porque sempre acho que estou perdendo alguma coisa, apesar de entender a maioria das coisas, às vezes acontece de ter frases memoráveis que eu possa perder, por exemplo. Fora que a série só tem 8 episódios de mais ou menos 40 minutos cada (tenho preguiça de começar séries grandes xD).
Os dois primeiros episódios achei legais, mas nada de muito incrível. Foi a partir do terceiro episódio que eu realmente peguei gosto pela série e viciei, ficava querendo chegar em casa da faculdade pra correr ver outro episódio. Foi assim que em menos de uma semana vi toda. Pra mim foi uma grande coisa porque eu sou a preguiça em pessoa quando se trata de séries, são poucas as que eu consigo acompanhar como Game of Thrones, por exemplo.


Agent Carter é uma personagem feminina da Marvel. Se você viu Capitão América - O primeiro vingador, você já a conhece. Ela é a "crush" do Steve Rogers (capitão américa). Essa série se passa justamente após a segunda guerra mundial no ano de 1946 ou 1947, não lembro bem. A Peggy Carter agora está trabalhando para a SSR (antiga S.H.I.E.L.D) e tem que lidar com um ambiente exclusivamente masculino. Numa época em que a misoginia era bem forte nesse ambiente, a Peggy acaba sendo posta de lado, sua função é basicamente anotar os pedidos do almoço, servir café e coisas do tipo. Apesar de Peggy ser limitada pelo seu chefe em relação ao seu trabalho, ela começa a fazer sua própria investigação do caso em que todos estão trabalhando a pedido de Howard Stark (o pai do Tony Stark, o Homem de Ferro). Howard está sendo acusado de traição por ter colaborado com inimigos dos EUA, ele fala com Peggy que realmente não acredita nessa história e resolve descobrir o que está acontecendo. A série é justamente o desenrolar dessa investigação, a qual a agente Carter consegue provar seu valor e mostrar que nem todas as mulheres são indefesas, com inteligência limitada a entender rádios-novelas sobre o Capitão América e que precisa de um homem para se sentir completa.

Apesar de a série mostrar alguns lados emocionais da Peggy, não faz a imagem estereotipada de que a mulher sempre preza pelo seu lado emocional. A história se desenvolve como qualquer outra do tipo de super-herói e é focada na personagem feminina. A atriz, Hayley Atewell, segura muito bem e os outros atores também assumiram bem seus papéis, destaque para o James D'Arcy que interpreta o Edward Jarvis, o mordomo de Howard Stark. Outra coisa que adorei foi  a trilha sonora.

Peggy Carter já se tornou minha super-heroína preferida, nem sei se ela é super-herói, mas pra mim é kkkkkkk Estou agora na torcida para que a série da abc seja renovada e que numa próxima temporada tenha mais episódios, só assim a história pode ser mais bem desenvolvida e outros pontos podem ser explorados. Agora comecei a ver Agents of S.H.I.E.L.D. e to curtindo.

domingo, 11 de janeiro de 2015

Retrospectiva Musical 2014

Música é uma coisa que eu gosto tanto e ouço tanto, mas que falo tão pouco por aqui.. Por isso resolvi fazer também minha retrospectiva musical do ano de 2014. Mas primeiro gostaria de explicar mais ou menos como funciona minha relação com música.

Quando quero baixar, normalmente baixo um CD completo, raramente baixo uma música só. Daí eu passo o CD para o meu celular e fico ouvindo o tempo todo. Eu levo mais ou menos 1 hora para chegar na faculdade, a maior parte do percurso ouvindo música, fora a volta pra casa e as outras horas do dia que eu tenho livre que provavelmente estarei ouvindo música. Ou seja, ouço muita música!

Como eu falei antes, quando eu gosto de um CD eu fico ouvindo ele o tempo inteiro. Tanto que enjoo e passo um tempo sem ouvir. O mesmo acontece com algumas músicas. Mas depois de um tempo, meu abuso passa e eu volto a escutá-las, mas não da mesma forma de antes, só de vez em quando.

Vou listar aqui apenas os álbuns que eu escutei durante o ano passado, claro que em relação a músicas foram bem mais.

Night Visions (2012) - Imagine Dragons

Eu já conhecia Radioactive e já tinha escutado It's Time na rádio, mas foi só depois de uma amiga colocar On Top of the World num vídeo de fim de ano (no caso, de 2013) que eu, depois de perguntar qual era a banda, baixei o disco e comecei a ouvir sem parar. Além dessas músicas que eu citei também gosto muito de Demons e Working Man.





Frozen (2014) - Trilha Sonora

Quando lançou o filme foi aquela loucura, Frozen pra lá, Frozen pra cá, Let it go pra lá, Let it go pra cá... Até que eu finalmente assisti ao filme! É legal, mas não achei nada demais. O que eu realmente gostei do filme foi a trilha sonora, achei incrível, tão incrível que eu corri pra baixar. E a minha música preferida não é nem Let it Go (aliás, na época eu tava odiando Let it Go de tanto que tocava, mas agora até que gosto rs!), é Do You Want to Build a Snowman? pra mim é uma das melhores cenas do filme.



Sawdust (2007) - The Killers

Eu já tinha ouvido falar do The Killers, é claro, já tinha até experimentado. Peguei um CD que meu irmão tinha no pc dele, o Day and Age e passei pro meu pc. Mas não rolou, ouvi e não gostei. Até que tive amigos que adoravam e viviam cantando música deles, fui até pra um cover da banda e resolvi dar mais uma chance. Foi quando eu vi esse post do Borboletando. A Victoria, dona do blog, é super fã deles e principalmente do Brandon Flowers (quem não é? xD). No post ela fala sobre os discos que marcaram a vida dela e cita o Sawdust, aí eu pensei: "Bom, vou dar uma nova chance a eles com esse disco então!".
The Killers é o tipo da banda que você vai gostando a medida que vai ouvindo, em pouco tempo eu tava ouvindo o cd on repeat. A maioria das músicas do disco são ótimas, mas eu lembro que a que eu mais gostei quando comecei a ouvir foi Leave the Bourbon on the Shelf. Mais uma daquelas músicas que eu gosto sem ninguém gostar e nem ser single nem nada. Preferidas: Under the Gun, Show you How, Who Let You Go? Menção honrosa: adorei o cover que eles fizeram de Romeo and Juliet de Dire Straits, e no fim ainda tem uma versão meio remix, sei lá, de Mr. Brightside que é um clássico da banda.

AM (2013) - Arctic Monkeys

Também por influência dos meus amigos, baixei esse CD e não parei mais de ouvir, foi tipo, loop infinito. Ao contrário de The Killers, eu curti Arctic logo de cara, desde a primeira música do disco que aliás é uma das melhores, Do I Wanna Know. Mas a minha preferida é R U Mine que eu inclusive já tinha ouvido antes em uma playlist da vida. Além dessas duas, minhas preferidas são No. 1 Party Anthem, Mad Sounds, Snap Out if It e I Wanna Be Yours.

Day and Age (2008) - The Killers

Depois de ter gostado tanto de Sawdust, voltei ao cd que eu já tinha deles e descobri que tinham músicas bem conhecidas da banda rs! Human, Space Man, A Dustland Fairytale.. A minha preferida do disco é Space Man, também gosto muito de Joy Ride. Como Bonus Track tem Forget About What I Said que eu já conhecia e que adoro tbm!





Beyoncé (2013) - Beyoncé

Baixei o CD porque já tinha ouvido muitos comentários bons dele, daí foi tipo: loop infinito também. Para mim, esse CD é bem diferente das outras músicas dela, tem uma coisa meio.. eu não sei dizer que referências, porque não sou da área, mas é uma coisa meio misteriosa, aquela coisa meio sexy.. batidas que começam baixinho e vão aumentando, vozes por baixo da música, gravações antigas dela, coisas assim.. que dão um clima diferente nas músicas. Outro detalhe especial desse CD é o lado feminista que ta bem presente nas letras das músicas e até pelos shows que ela tem feito e os clipes de Pretty Hurts e Flawless, por exemplo. Minha música favorita do CD é sem dúvida Partition, mas gosto muito de Haunted, Blow, Rocket e XO.

Maroon 5

Com Maroon 5 foi diferente porque eu não baixei nenhum CD específico, eu simplesmente fui pra vários covers da banda esse ano e baixei a discografia completa deles, depois selecionei as músicas que eu conhecia e botei no celular.. Fiquei ouvindo direto. Tem músicas de Songs About Jane (2002), It Won't Be Soon Before Long (2007), Hands All Over (2010) e Overexposed (2012). Nesse meio tempo eles lançaram um novo CD que eu ainda não baixei mas já gosto das músicas Maps e Animals. É dificil escolher uma música preferida da banda, mas eu amo, amo de paixão Makes me Wonder, além de Payphone, Won't Go Home Without You, One More Night... #PartiuBaixarOCdNovo

*Botei a capa do CD It Won't Be Soon Before por ser o que tem Makes me Wonder.

1989 (2014) - Taylor Swift

Eu gosto de Taylor Swift desde aquele CD de Love Story, Fearless (2008), quando ela ainda era do estilo country. Na época eu ouvi muito o CD e ainda ouço de vez em quando, sei cantar a maioria das músicas. Depois veio Speak Now(2010), e ela ainda tinha a pegada country, gostei das músicas, mas não me pegou tanto quanto o anterior. Foi só com RED (2012) que ela seguiu mais pro lado pop. Ainda não tinha sido lançado o CD completo, mas eu baixei algumas músicas, Red, We are Never Ever Getting Back Together e Begin Again. Apesar de ter gostado, não gostei taaanto assim e nem me animei a baixar o CD completo depois.  Deixei a Taylor de lado até que veio Shake it Off, com aquela batida viciante e o clipe mais legal ainda, nem pensei duas vezes e baixei o álbum todo. De cara minha música preferida foi Blank Space, ouvia sem parar, imaginem minha felicidade quando virou um clipe incrível? adorei! Esse CD já passa longe do country e tá sensacional, todas as músicas. Pra não dizer que eu não pulo nenhuma, eu pulo Welcome to New York, mas eu vou começar a ouvir de novo porque eu tenho mania de mudar de opinião, como com Out of the Woods que eu gostava e depois peguei abuso. Além de Blank Space e Shake It Off, eu adoro Bad Blood e I Know Places (minha preferida atual). Esperando ansiosamente outros clipes dela *-*

X (2014) - Ed Sheeran

Logo depois, resolvi baixar Ed Sheeran por indicação de um amigo. Faz tempo que ele falava nele.. Ai de repente começou a tocar uma música muito massa nas rádios, consegui pegar o nome: Sing. Quando procurei no youtube.. era do Ed Sheeran, resultado: baixei o CD. E viciei, aliás ainda to viciada.. De tanto ouvir já cansei de Sing, depois viciei em Don't e já cansei também, meu novo vicio é Thinking Out Loud (já viram o clipe? ele ta muito fofo dançando <3).



Bom, esses foram os discos que fizeram meu 2014. Para 2015, já to pensando em baixar o novo do Maroon 5 e o da Sia porque eu adoro aquela música Chandelier e os dois últimos clipes dela me chamaram atenção, o de Chandelier e Elastic Heart. Sugestões? :D

sábado, 3 de janeiro de 2015

Retrospectiva Literária 2014

2014 passou e não vou dizer a tão clichê frase "ah, como passou rápido" porque eu não acho que tenha sido rápido. Pra mim passou como um ano (dãã kkkk). E foi um ano muito bom, espero que 2015 seja ainda melhor!
Tem tanto tempo que não venho aqui.. mas voltei pra fazer a já tradicional retrospectiva literária que eu adoro. Tirei algumas categorias (porque sim!) e acrescentei outras que achei legal, vamos lá!

Livros lidos de 2014:

Livros lidos em 2014

A Senhora da Magia (Marion Zimmer Bradley)
Cidade dos Anjos Caídos (Cassandra Clare)
O Auto da compadecida (Ariano Suassuna <3)
O Último Olimpiano (Rick Riordan)
A Estrada da Noite (Joe Hill)
The Fault in Our Stars (John Green)
Tia Júlia e o Escrevinhador (Mario Vargas Llosa)
O Pacto (Joe Hill)
Jogos Vorazes (Suzanne Colins)
Em Chamas (Suzanne Colins)
A Esperança (Suzanne Colins)

O casal mais apaixonante: Logo de primeira pensei em colocar a Katniss e o Peeta, mas aí eu lembrei que eles não são apaixonantes só o Peeta kkkkkk Então dando uma analisada melhor me lembrei de Ig e Merrin de O Pacto. Apesar de Merrin nem ser mais viva quando o livro começa (não é spoiler, isso tem até na sinopse do livro), nós somos apresentados a história deles por flashbacks que mostram desde quando eles se conheceram, ficaram juntos e tudo o mais. São tão apaixonantes que eu até quis que fosse tudo mentira e ela ainda estivesse viva kkkkkkk

Virei a noite lendo: Acho que vários da lista eu devo ter virado a noite lendo porque a maioria li durante as férias, mas a série Jogos Vorazes com certeza foi o que mais me prendeu e eu acho que li todos em uma semana. Teve um dia que fiquei até umas 4 da manhã querendo dormir e sem conseguir >.<

Me deixou triste: A Esperança me deixou triste no final, passei uns dias pra me recuperar kkkkk Mas eu gostei do livro.

Decepção do ano: Fiquei em dúvida em qual coloco, Cidade dos Anjos Caídos ou The Fault in Our Stars, mas vou dizer Cidade dos Anjos Caídos porque The Fault in Our Stars algumas pessoas já tinham me dito que não gostaram muito então minhas expectativas já caíram. Fora que Cidade dos Anjos Caídos é o 4º livro de uma série (Os Instrumentos Mortais) que eu gosto muito, então esperava mais do livro. Não foi ruim, mas eu lembro que achei a história mal desenvolvida, o que achei legal foi a aparição de novos personagens. Quero terminar a série, espero que os outros livros sejam melhores.

Grifei: Como já tinha dito aqui grifei The Fault in Ours Stars e The Perks of Being a Wallflower, por serem em inglês e eu marcar as palavras que não sei. Aproveito e grifo as partes que gosto.

O pior livro de 2014: A Estrada da Noite do Joe Hill. Assim, na lata! kkkkkkk A história era até boa, mas achei mal desenvolvida. Talvez se fosse um filme fosse mais legal.

Soco no estômago: A Caminho de Cabul e Bagdá e A Esperança. O primeiro porque relata vivências de um jornalista que foi correspondente do The Guardian no Oriente Médio e aí a gente acaba sendo imerso nas coisas de lá, nos problemas que se passam por lá. O segundo porque PUTAQUEOPARIU acontece muita coisa que você fica :O estou louca pra ver a segunda parte do filme.

O mais chato: Foi A Senhora da Magia, que eu inclusive postei sobre aqui e tem minhas razões lá.

Morri de rir: Não teve nenhum que foi muuito engraçado, mas O Auto da Compadecida é tão bom quanto o filme, que foi uma ótima adaptação por sinal.

Deveria virar filme: A maioria dos livros que eu li já viraram filmes, mas como falei antes talvez A Estrada da Noite desse um bom filme.

Aventura, Fantasia ou infanto-juvenil: A série Jogos Vorazes. Menção honrosa para O Último Olimpiano, último livro da série Percy Jackson e os Olimpianos, e para The Perks of Being a Wallflower que ganhou um lugar no meu coração ^^

Bate bola de personagens

- personagem masculino mais apaixonante: Peeta <3 de Jogos Vorazes
- personagem feminina admirável: Katniss de Jogos Vorazes
- personagem mais chato: Igraine de A Senhora da Magia
- personagem mais legal: o Charlie de The Perks of Being a Wallflower
- personagem mais pertubador: Lee Tourneau de O Pacto

Melhor livro de 2014: Dentre os livros que eu li, os que mais gostei foram The Perks of Being a Wallflower, O Pacto e todos da série Jogos Vorazes. Não consigo me decidir qual o melhor. 

O que me proponho para 2015: Ano passado eu tinha me proposto ler 3 livros nacionais e acabei que só li um. Eu nem lembrava mais dessa minha proposta, mas eu vou mantê-la para esse ano. Além disso quero terminar a série As Brumas de Avalon que já estou adiando por muito tempo.

Livros não-lidos que tenho na estante
Os livros não-lidos que eu tenho são: a continuação da série As Brumas de Avalon, Cem Anos de Solidão do Gabriel Garcia Marquez, O Apanhador de Sonhos do Stephen King, uma coleção (A Sombra do Vento e O Jogo do Anjo que já li, mas quero reler e O Prisioneiro do Céu que não li ainda) de Carlos Ruiz Zafón que eu comprei no Submarino e Quadribol Através dos Séculos e Animais Fantásticos e Onde Habitam que são ligados à Harry Potter.

Créditos do meme: Tary do Doces Rodopios

domingo, 21 de setembro de 2014

The Fault in Our Stars - John Green


Eu já estava querendo ler A Culpa é das Estrelas há um bom tempo e aproveitei que é um livro adolescente para treinar meu inglês. Meu segundo livro em inglês, iupii \o/
Minha alegria acaba por aí, não estou fazendo um paralelo com o livro, por se tratar de uma história triste, mas sim, porque eu realmente esperava mais do livro. Até a metade dele eu não estava gostando, de início parecia que aquela lentidão e falta de desenvolvimento na história parecia ser só pra nos ambientar, mas aos poucos eu fui vendo que não. Na metade do livro eu já estava achando tudo muito besta, não tinha nem mais interesse em ler o livro.. Só terminei porque duas pessoas as quais eu havia comentado que estava lendo me perguntaram se eu sabia o final do livro e aí eu desconfiei "Opa, acontece algo inesperado no fim do livro". E além disso porque eu realmente tinha esperança de que a coisa melhorasse, e melhorou! O final é mais emocionante, não me chegou fazer chorar e nem me emocionar taanto, mas melhora. E pelo menos para mim foi inesperado. Apesar disso, ainda dei 3 estrelas de 5 no Skoob, por pouco não dei 2 kkkkkk.

[SPOILER]
Para mim o auge da chatice foi durante a viagem de Amsterdam quando eles se encontram com o autor de An Imperial Affliction, o livro preferido da Hazel. Sabe.. muito sem noção e o cara é um chatice também. Enfim! Ai depois eles tem o primeiro beijo e depois a primeira vez, e eu: "Ta e daí?" Sabe? Não senti emoção, não como em outros livros do mesmo estilo.
[FIM DO SPOILER]

Eu ainda não assisti ao filme, estava esperando terminar o livro. Mas duas amigas minhas já tinham me dito que gostaram mais do filme que do livro, uma delas me disse que não achou o livro lá essas coisas e mais outras duas amigas minhas também tinham me dito a mesma coisa. Sendo que uma dessas nem ao menos terminou o livro. Daí, eu já não fui esperando grande coisa então não acho que esse meu desgosto pelo livro tenha sido por grandes expectativas. E nem por querer bancar a adulta dizendo que o filme é besta, porque é infantil e blábláblá. Eu adoro os livros de Percy Jackson, por exemplo, que são livros infantis e assumo para todo mundo isso. Inclusive já li outros do mesmo estilo que A Culpa é das Estrelas e tive outra opinião, o próprio The Perks of Being a Wallflower que eu li há um tempo atrás também é um drama adolescente e eu adorei. A razão pela qual eu me decepcionei com o livro talvez tenha sido a emoção que ele não trouxe pra mim, não sei, talvez a forma como o autor escreve, não sei. Fiquei tentando achar alguma razão específica, mas não consegui. Mas eu ainda não perdi esperanças no filme, acho que deve ser legal mesmo e também vou dar outra chance para o John Green. Até porque o livro não foi ruim, mas podia ser bem melhor kkkkkk.

A maioria dos trechos bons do livro já circulam por aí há séculos, mas um que eu gostei e nunca tinha visto relacionada ao livro foi: "That's the thing about pain, it demands to be felt."

Em breve volto dizendo o que achei do filme. Beijos e até mais! :*