segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

São crianças como você, o que você vai ser quando você crescer..

Eu nem sei como começar a falar sobre isso porque é uma coisa que me deixa bem dividida. É em relação aos pais que criam seus filhos lhes dando tudo do bom e do melhor, mas não apenas isso, dando-lhes tudo o que eles querem. Eu, particularmente, não fui mimada, nunca fui de ganhar tudo o que eu desejava e nem fazia tudo o que eu queria. Acredito que meus pais deram a mim e à meus irmãos um boa educação e mesmo passando por algumas dificuldades financeiras nunca passamos fome e sempre estudamos em escolas particulares. E em relação a presentes eu sempre ganhei presentes do papai noel, ovo do coelhinho da páscoa, mas confesso que nunca era aqueles grandiosos, mas eu gostava mesmo assim.
Hoje em dia eu convivo com alguns pais que não fazem o mesmo com os filhos, uma mãe faz o que pode e o que não pode pra dar tudo a filha, tudo que ela pede, desde o biscoito X até a bolsa Y. É uma coisa boa de se ver em relação à mãe que se esforça tanto pra criar a filha sozinha e mesmo sem muito dinheiro sempre realiza os desejos da filha. Outro caso, já não tão parecido pois os pais estão juntos e tem uma boa condição financeira, mas dão tudo que o filho pede da mesma forma. Eu nunca fui a favor disso, pois pra mim essas crianças irão se tornar mimadas, egoístas e não irão dar valor às coisas. Mas há um tempo atrás eu só fazia julgar os pais, lhes chamando de irresponsáveis, que não sabem educar direito e todo esse blábláblá que sempre ouvimos em relação a pais e filhos. Mas aí eu me peguei pensando um tempo atrás nisso, e eu vi que o buraco era mais embaixo.
Não se trata apenas de dar tudo o que a filha quer, mas como a menina não tem o pai tão presente e andou passando por alguns problemas emocionais a mãe tenta suprir isso dando tudo que pode à filha, é um jeito certo de suprir isso? talvez não, mas é o modo que ela encontrou pra isso. E quem sou eu para julgar? Eu não passei pelo mesmo problema e queira Deus que eu não passe, porque o que essa mãe já passou não é brincadeira, então quem sou eu para julgá-la? Eu fico com peso na consciência por já ter dito poucas e boas em relação a ela à minha mãe, mas eu também fico pensando na criança, porque os problemas que eu citei acima já estão acontecendo. Ela é uma menina adorável, muito fofa, mas que realmente faz o que quer, desobedece, não dá valor às coisas que tem e às vezes é um pouquinho egoísta, a mãe tenta falar grosso, mas moral mesmo eu acho que ela não tem.
Já em relação aos outros pais eu não sei bem, não convivo tanto, mas deve ter algum motivo além do que eu consigo ver também, eu só fico meio triste por saber disso e não poder ajudar de alguma forma.

Como eu disse lá em cima, meus pais nunca me deram tudo o que eu sempre quis e hoje eu agradeço a eles por isso. Eu nunca ganhei todos os presentes que pedia, eu não levava lanches tão gostosos quanto os meus colegas e nunca tinha aquela bolsa da Barbie, mas eu nunca deixei de amar meus pais, nunca deixei de respeitá-los e acredito que não sou egoísta e pode crer eu dou MUITO valor às minhas coisas, é aquela coisa né.. o que a gente consegue facilmente, nem damos valor, mas o que a gente consegue na dificuldade, aah vale ouro pra gente! E eu sei que esse é o melhor jeito de criar um filho, mas o que posso fazer pra colocar isso na cabeça de todos os pais do mundo?

5 comentários:

  1. Ei, Deby. Houve aí uma generalização. Eu sempre tive tudo o que eu queria e pedia de meus pais, e estudei numa escola onde as pessoas também tinham isso,porém não era culpa delas. Porém nenhuma se mostrava mimada, e eram até mesmo muito humildes e modestas. Posso dizer que não sou mimada, e no entanto fui criada dessa forma que você não é a favor. Depende de cada pessoa, sabe? Não podemos generalizar as coisas assim. Porque em toda regra há uma exceção. Tem gente que não teve tudo o que queria, e por isso dá valor demais a coisas pequenas, e hoje tem uma doença compulsiva d ecomprar. Minha tia é uma delas. Então, há casos e casos. Depende muito.
    Postei de novo lá :D
    Beeijo <3

    ResponderExcluir
  2. Oie,também nunca fui mimada,mas quase tudo que eu quis eu tive,sempre em troca de alguma coisa,minha mãe me dava e dava aos meus irmãos.

    Beijos - tenha uma ótima semana.

    ResponderExcluir
  3. Filho tem que aprender a ouvir não! Tem que ser preparado para a vida, e isso exije NÃO também.

    Rússia parece ser bem bacana!

    Bjonas (:

    Fique com Deus ♥

    ResponderExcluir
  4. Olha, concordo plenamente com todas as palavras deste post!

    Também vejo tantas sitações em que as mães de seixam passar por tanto com as filhas que eu até me pergunto como? E fico até com vontage de dirigir-me a essa mãe e falar umas poucas e boas... mas de facto, problemas do vizinho não são do nosso interesse, e nem tudo é como parece. Verdade que muitas das vezes o buraco é profundo, e infelizmente as pessoas acabam tentando preencher esse espaço rapidamente, e acabam tomando as atitudes erradas...

    Também concordo que situações como estas contribuem muito pro carácter de uma pessoa mais tarde, mas alguns se safam e encontram os seus próprios valores nas lições que a vida ensina!

    Fica bem :)

    ResponderExcluir
  5. Exatamente a mesma opinião que eu.
    Uma tia minha tem uma filha de dez anos. A menina manda nela. E acha que pode mandar em qualquer um. Completamente mimada, imagino como vai ficar quando for -- realmente, porque ela já acha que é -- adolescente.
    Mas sempre me esforço ao máximo pra nunca dar palpite na vida alheia, então... Apenas penso em como meu filho/filha vai ser diferente.
    É complicado...
    :*

    ResponderExcluir