domingo, 21 de setembro de 2014

The Fault in Our Stars - John Green


Eu já estava querendo ler A Culpa é das Estrelas há um bom tempo e aproveitei que é um livro adolescente para treinar meu inglês. Meu segundo livro em inglês, iupii \o/
Minha alegria acaba por aí, não estou fazendo um paralelo com o livro, por se tratar de uma história triste, mas sim, porque eu realmente esperava mais do livro. Até a metade dele eu não estava gostando, de início parecia que aquela lentidão e falta de desenvolvimento na história parecia ser só pra nos ambientar, mas aos poucos eu fui vendo que não. Na metade do livro eu já estava achando tudo muito besta, não tinha nem mais interesse em ler o livro.. Só terminei porque duas pessoas as quais eu havia comentado que estava lendo me perguntaram se eu sabia o final do livro e aí eu desconfiei "Opa, acontece algo inesperado no fim do livro". E além disso porque eu realmente tinha esperança de que a coisa melhorasse, e melhorou! O final é mais emocionante, não me chegou fazer chorar e nem me emocionar taanto, mas melhora. E pelo menos para mim foi inesperado. Apesar disso, ainda dei 3 estrelas de 5 no Skoob, por pouco não dei 2 kkkkkk.

[SPOILER]
Para mim o auge da chatice foi durante a viagem de Amsterdam quando eles se encontram com o autor de An Imperial Affliction, o livro preferido da Hazel. Sabe.. muito sem noção e o cara é um chatice também. Enfim! Ai depois eles tem o primeiro beijo e depois a primeira vez, e eu: "Ta e daí?" Sabe? Não senti emoção, não como em outros livros do mesmo estilo.
[FIM DO SPOILER]

Eu ainda não assisti ao filme, estava esperando terminar o livro. Mas duas amigas minhas já tinham me dito que gostaram mais do filme que do livro, uma delas me disse que não achou o livro lá essas coisas e mais outras duas amigas minhas também tinham me dito a mesma coisa. Sendo que uma dessas nem ao menos terminou o livro. Daí, eu já não fui esperando grande coisa então não acho que esse meu desgosto pelo livro tenha sido por grandes expectativas. E nem por querer bancar a adulta dizendo que o filme é besta, porque é infantil e blábláblá. Eu adoro os livros de Percy Jackson, por exemplo, que são livros infantis e assumo para todo mundo isso. Inclusive já li outros do mesmo estilo que A Culpa é das Estrelas e tive outra opinião, o próprio The Perks of Being a Wallflower que eu li há um tempo atrás também é um drama adolescente e eu adorei. A razão pela qual eu me decepcionei com o livro talvez tenha sido a emoção que ele não trouxe pra mim, não sei, talvez a forma como o autor escreve, não sei. Fiquei tentando achar alguma razão específica, mas não consegui. Mas eu ainda não perdi esperanças no filme, acho que deve ser legal mesmo e também vou dar outra chance para o John Green. Até porque o livro não foi ruim, mas podia ser bem melhor kkkkkk.

A maioria dos trechos bons do livro já circulam por aí há séculos, mas um que eu gostei e nunca tinha visto relacionada ao livro foi: "That's the thing about pain, it demands to be felt."

Em breve volto dizendo o que achei do filme. Beijos e até mais! :*

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Quando alguém do outro lado do mundo diz muito sobre você...


"Eu tenho medo de tudo. Estive lendo livros de psicologia para tentar descobrir o porquê. Logicamente, eu sei que está tudo bem. Eu sei que tenho apenas vinte anos, e eu tenho tantas bênçãos e vantagens. Mas eu estou com medo de não ter feito o suficiente ainda. Tenho medo do futuro. Medo de envelhecer. Medo de ficar sozinha. Medo de ter um filho. E medo do escuro. Eu tenho muito, muito medo do escuro. "

(Kiev, Ucrânia)

Para quem ainda não curte essa página, eu recomendo: Humans of New York.

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Filmes do fim de semana

Desde o dia 19 de agosto que estou de férias e só agora conseguir criar coragem pra voltar aqui. Esse período da faculdade foi bem intenso e eu estava precisando de um tempinho pra descansar e sair! :D Maas, o que interessa é que eu estou aqui e eu vim falar dos filmes que assisti esse fim de semana, vamos lá.

A Menina que Roubava Livros (The Book Thief)

Ano: 2014
Duração: 131 minutos
Gênero: Drama, Guerra
Direção: Brian Percival
Sinopse: Enquanto submetida aos horrores da Segunda Guerra Mundial na Alemanha, a jovem Liesel encontra consolo roubando livros e os compartilhando com outras pessoas. No porão de sua casa, um refugiado judeu está sendo protegido por seus pais adotivos.

Minha opinião: Eu me pergunto por que demorei tanto pra assistir a esse filme já que é um dos meus livros preferidos. Eu o li somente uma vez e foi mais ou menos quando eu tava no 1º ano do Ensino Médio, por aí.. e agora já vou pro 6º período da faculdade, então faz bastante tempo. Por essa razão, não lembrava muito dos detalhes, mas ao assistir ao filme o mesmo sentimento de quando li o livro foi me tomando, fui relembrando da história e no fim adorei o filme. Acho que captou bem a essência do livro e os personagens foram bem representados pelos atores. As escolhas foram ótimas! Bom, deixando de lado essa comparação que é inevitável entre o livro e o filme, o filme é triste, se passa na Alemanha da Segunda Guerra Mundial, mas mesmo assim é muito bom e eu recomendo!

Mistério da Rua 7 (Vanishing on 7th Street)

Ano: 2010
Duração: 90 minutos
Gênero: Mistério, Suspense
Direção: Brad Anderson
Sinopse: O filme mostra o que acontece após um misterioso blecaute onde a maior parte da população desaparece no ar. Enquanto os poucos sobreviventes acabam em um bar tentando descobrir o que está acontecendo, a escuridão volta para buscá-los um a um.

Minha opinião: Tinha tudo pra ser bom, mas cagaram com o filme. Não houve um desenvolvimento da história sabe? Ficou sempre na mesma coisa, a gente tava sempre esperando algo acontecer e nada acontecia. E quando acontecia era bem sem graça, sei lá. Não me empolgou!



Sim Senhor! (Yes Man)

Ano: 2008
Duração: 104 minutos
Gênero: Comédia, Romance
Direção: Peyton Reed
Sinopse: A trama conta a estranha jornada de um homem (Jim Carrey) que, cansado de perder oportunidades na vida, resolve dizer "sim" para tudo o que lhe aparece durante um ano, levando-o a uma série de situações absurdas e pitorescas.

Minha opinião: Depois de tanta insistência do meu irmão, acabei vendo agora há pouco e adorei o filme. Não traz profundas interpretações da vida, nem nada do tipo, pelo contrário, é bem leve e tem a comédia do Jim Carrey. Mas isso foi uma forma legal de querer passar a mensagem do filme, que é não de dizer "sim" pra tudo, mas de não dizer "não" pra tudo. Às vezes perdemos muita coisa na vida simplesmente por medo do novo, de sair da rotina.. mas a graça da vida é justamente essa. E coisas boas só podem acontecer com a gente se tentarmos coisas novas. Coisas ruins irão acontecer também, mas elas irão acontecer de um modo ou de outro, então é melhor que aconteçam quando a gente está em busca de algo. Eu tô numa vibe bem parecida com esse filme ultimamente e talvez por isso tenha gostado tanto.. não é o melhor filme do mundo, nem essa premissa é tão original assim,  mas é bem legal! 

Até mais! :D

(Fonte: Filmow e IMDb)

quarta-feira, 6 de agosto de 2014

A arte de ler as coisas alheias #2

Adorei esse post onde eu juntei várias coisas que eu vi escritas na biblioteca da minha faculdade e resolvi repetir a dose, estou até pensando em criar uma tag fixa aqui no blog com isso, vou tentar pensar num nome legal.

As bibliotecas da UFPE passaram por um período de greve, com isso, eu e meus amigos começamos a frequentar o prédio do CAC (Centro de Artes e Comunicação) que fica perto de eu onde eu estudo que é o CTG (Centro de Tecnologia e Geociências) e lá no CAC tinham mais lugares onde a gente podia ficar para estudar. A greve acabou mas a biblioteca do CTG não reabriu, motivo: reforma :/ Mas mesmo que tivesse reaberto acho que a gente não deixaria de frequentar o CAC, eu pelo menos não. O clima de lá é bem mais leve que o do CTG e vez ou outra a gente se surpreende com coisas tipo: banda cover do Arctic Monkeys, apresentação de capoeira, teve um dia que alunos de música fizeram um pequeno arraiá por lá.. enfim! Dia desses eu estava de bobeira e percebi que as mesas tinham várias coisas riscadas e desenhadas. Daí não pude perder a oportunidade..

Olha só que talento!
E ainda teve protesto: #nãomereçoserestuprada.

Esqueletinho estiloso
E ainda ta de cabeça pra baixo que é pra inovar (mentira, a jeg aqui tirou assim e esqueceu de ajeitar antes de botar aqui :P).

Fofo!

Música, música e mais música

E aqui uma compilação de várias letras de músicas, tive até vergonha de ficar tirando várias fotos e tirei uma só reunindo tudo.
  1. Bem grande dá pra ver "BACK TO 505" do Arctic Monkeys;
  2. "Take me to the place where the white boys dance. Take me to the place where they run and play." Que é Where the White Boys Dance do The Killers e eu fiquei tão orgulhosa de conhecer essa, a minha amiga que é fã da banda nem reconheceu (rá!);
  3. "This life is lived in perfect symmetry" Não conhecia essa também, é Perfect Symmetry do Keane (música legal);
  4. Essas eu tive que pesquisar no google: "You blocked me on Facebook and now you're going to die!" Internet Friends da Knife Party (tem um clipe muito louco);
  5. "Run, neon tiger. There's a lot on your mind" Que é Neon Tiger também do The Killers mas a gente não reconheceu;
  6. "I wanna be where the boys are!" que é da The Runaways (Também tive que botar no Google);
  7. E ali do lado ainda tem uma listinha que eu adoro, menos esse Keane que eu não conhecia: "The Killers, Keane, Marina and the Diamonds, Arctic Monkeys, Demi Lovato".
Como eu já tinha dito no post anterior adoro conhecer músicas novas, e to adorando conhecê-las dessa forma. Mas para quem sentiu falta de uma frase tocante, aqui vai uma de uma banca em uma das minhas salas de aula:

"Quando fica a cicatriz, fica difícil esquecer"
 Menos se for nas costas, porque né? A gente não vai ver nunca mesmo.. :P

Ah, e eu tinha colocado essa no post passado:

"O que é pior, o medo ou a incerteza?"

E algumas dias depois eu acabei pegando a mesma cabine da biblioteca e eu reparei que colocaram uma resposta assim: "O medo, a incerteza a gente pelo menos pode calcular" HAHAHAHAHAHAH achei genial xD

#éissogente #fimdeperíodo #tolascada #flws #bjos

quarta-feira, 9 de julho de 2014

"Preparem-se. O hexa está chegando.."



Inacreditável, humilhante, inesquecível... uma copa dentro de casa, com o sucesso que estava sendo até agora.. esperávamos muito, mas muito a vitória. Talvez não estivéssemos mesmo preparados para a derrota, mas para uma derrota de 7x1? Não, realmente não estávamos. É dificil de engolir, é dificil de cair a ficha, mas aos poucos a gente vai recolhendo os cacos e seguindo a vida. Depois de tanta tentativas de explicações, de várias teorias da conspiração, eu nem quero eleger a que eu acho mais provável. Só sei que essa é realmente a Copa da Zoeira hahhahahaa além do Brasil eliminado com esse placar a Argentina ainda foi pra final. Estou torcendo contra, maas.. do jeito que a coisa tá, não me admira ela ganhar domingo.
Hoje o dia foi bem mais ou menos, fiquei doente ontem, literalmente, fui parar no hospital com uma dor de garganta dos infernos e febre, acabei nem indo pra aula hoje. Fiquei o dia todo com flashs na cabeça do jogo de ontem, dos gols da Alemanha, do sonho indo embora. Foi difícil! Mas assim como a Fernanda Gentil colocou no instagram "só sofre quem, em algum momento, acreditou. Eu acreditei, e escolho acreditar de novo todas as vezes". Eu sou brasileira, com muito orgulho e muito amor, e não desisto nunca. Sábado colocarei mais uma vez minha amarelinha e estarei torcendo para a Seleção Brasileira como sempre torci e sempre torcerei, e se perder? Ok, cabeça erguida e a vida segue. O sonho do hexa ainda não acabou pra mim e como diz a frase do ônibus brasileiro, o hexa está chegando, tá vindo de jegue, mas está chegando.

sábado, 24 de maio de 2014

Sobre a minha ausência

Faz tempo que não venho aqui. Entretanto, não estou me sentindo mal por isso, estou começando a não me importar em não vim mais aqui. Não por não ligar para o blog, ou porque irei acabar com ele, mas simplesmente porque eu estive pensando que talvez isso seja um indicativo de que eu estou "vivendo" mais. Talvez o motivo de eu não ter mais tanta vontade de vim dividir minhas coisas aqui seja porque eu já encontrei outras pessoas com quem dividir.
Parei de ver minha ausência aqui no blog como uma coisa ruim, pode ser uma forma de não me sentir tão culpada, mas eu prefiro pensar da primeira maneira rs!
Esses últimos dias estão sendo muito legais para mim, me deparei com pessoas muito bacanas que estão fazendo o ambiente da faculdade muito melhor do que seria se eu não estivesse com eles. Espero que continue assim por um bom tempo.

segunda-feira, 14 de abril de 2014

The Perks of Being a Wallflower - Stephen Chbosky

Eu ainda não comentei por aqui, mas eu estou empenhada em conseguir aprender inglês. Digamos que foi um dos meus planos para 2014 e eu estou tentando manter a disciplina. Por isso resolvi ler um livro em inglês, não sei porque demorei tanto em unir o útil ao agradável: a leitura que eu adoro, com o bônus de estar aprendendo vocabulário e me familiarizando com outra língua.
The Perks of Being a Wallflower apareceu para mim meio sem querer, eu estava a poucos dias de entrar de férias, na Livraria Saraiva procurando The Fault in Our Stars, mas eu não achava de jeito nenhum na seção de outras línguas, daí eu fui dá uma olhada na seção de infanto-juvenil e eis que vejo o título de um livro em inglês, eu fiquei surpresa porque não esperava que fosse encontrar nada em inglês por ali daí quando eu perguntei ao atendente e descobri que The Fault in Our Stars não tinha na loja, nem pensei duas vezes em levar The Perks of Being a Wallflower, foi o destino. kkkkkkkk

Comecei meio devagar, grifando as palavras e expressões que eu não sabia o significado para procurar depois e aos poucos a leitura foi engrenando. Quando eu vi, já estava empolgada com a história do Charlie, torcendo por ele, me emocionando com a história e vendo o quão fofo ele é.
Eu já havia assistido ao filme, mas isso não diminuiu o meu interesse, pois apesar de ter achado que o filme captou bem a essência do livro e os atores também foram muito felizes em seus papeis, o livro é livro né gente?! kkkkkk Fora que algumas partes não estavam no filme, como a maioria das cenas da família do Charlie. Foi muito legal participar das reuniões da família dele e conhecer um pouco mais da cultura americana.

Para quem ainda não conhece, a sinopse do livro é a seguinte:
Ao mesmo tempo engraçado e atordoante, As vantagens de ser invisível reúne as cartas de Charlie, um adolescente de quem pouco se sabe - a não ser pelo que ele conta nessas correspondências -, que vive entre a apatia e o entusiasmo, tateando territórios inexplorados, encurralado entre o desejo de viver a própria vida e ao mesmo tempo fugir dela.
As dificuldades do ambiente escolar, muitas vezes ameaçador, as descobertas dos primeiros encontros amorosos, os dramas familiares, as festas alucinantes e a eterna vontade de se sentir “infinito” ao lado dos amigos são temas que enchem de alegria e angústia a cabeça do protagonista em fase de amadurecimento. Stephen Chbosky capta com emoção esse vaivém dos sentidos e dos sentimentos e constrói uma narrativa vigorosa costurada pelas cartas de Charlie endereçadas a um amigo que não se sabe se real ou imaginário.
Íntimas, hilariantes, às vezes devastadoras, as cartas mostram um jovem em confronto com a sua própria história presente e futura, ora como um personagem invisível à espreita por trás das cortinas, ora como o protagonista que tem que assumir seu papel no palco da vida. Um jovem que não se sabe quem é ou onde mora. Mas que poderia ser qualquer um, em qualquer lugar do mundo.

The Perks of Being a Wallflower também foi o primeiro livro que eu pratiquei meu desapego e comecei a grifá-lo. Eu precisava fazer isso porque não ia ficar abrindo o dicionário toda vez que surgisse uma palavra que eu não conhecesse e nem tinha como eu marcar com o marca-página ou coisa do tipo, daí respirei fundo, peguei meu lápis (ainda não me desapeguei o suficiente para usar marca-texto) e comecei a grifar. É bom viu? Gostei da sensação hahahahah Aproveitei para marcar trechos que eu achei bonitos, olha só:

"Charlie, we accept the love we think we deserve."

"I just think it's bad when a boy looks at a girl and thinks that the way he sees the girl is better than the girl actually is."

"It's like when you are excited about a girl and you see a couple holding hands, and you feel so happy for them. And other times you see the same couple, and they make you so mad. And all you want is to always feel happy for them because you know that if you do, then it means that you're happy, too."

Adorei o livro, a leitura flui e o fato de ser contada por um adolescente e ser um livro atual ajuda no fato de estar aprendendo inglês. O filme, como eu já havia falado, também é muito bom e captou bem a essência do livro. Recomendado!

segunda-feira, 31 de março de 2014

Uma carta ao meu eu de 10 anos atrás

Esse post faz parte de uma blogagem coletiva do Rotaroots, se quiser conhecer e fazer parte do grupo no facebook clica aqui. Essa blogagem coletiva foi inspirada na TAG do blog Hypeness.

Olá Déborah!

Provavelmente você deve estar desejando que essa carta seja a de Hogwarts que por um acaso do destino chegou um ano mais cedo, mas não.. sinto lhe informar que quem lhe escreve é você mesma, só que 10 anos mais velha. Eu sei, eu sei, isso é muito estranho, mas eu também sei que você não deve achar nada impossível já que sempre quis fazer parte de uma aventura dessas que você lê e assiste. Para não lhe deixar tão decepcionada eu vou te dar um spoiler da nossa vida: irá chegar uma carta pra você de Hogwarts. Não vai ser bem como você espera, mas ainda assim você vai adorar.
Daqui dos 20 eu vejo o quanto tanta coisa vai mudar na sua vida, coisas boas irão chegar e outras nem tanto. Mas continue enfrentando todas as dificuldades com essa determinação que você tem que tudo se resolverá. E se as coisas estiverem muito difíceis não se esqueça que você sempre pode contar com sua família. Eles estarão ao seu lado para o que você precisar.
Eu sei que você deve estar sofrendo um pouco por algumas amigas que você perdeu contato, mas não se culpe tanto, não é culpa sua. Essas coisas acontecem e lamento ter que te dizer, vai acontecer de novo, e mais de uma vez. Você ainda vai sofrer bastante por isso, mas deixa eu te contar uma coisa, você ainda vai conhecer pessoas incríveis que farão valer a pena toda a espera. Mesmo lamentando as perdas que você teve você vai se decepcionar um pouco porque as pessoas, assim como você, vão mudar e algumas mudam tanto que você vai chegar a se perguntar se alguma vez já conheceu elas de verdade. Por isso, curta cada momento porque eles serão únicos, não ligue para o que os outros vão pensar, apenas faça o que te faz feliz e em breve, daqui há uns 10 anos, nos lembraremos com muito carinho de tudo pelo que passamos. Não tenha vergonha de ir para aquela festa porque vai ter gente que você não conhece, não tenha vergonha de gostar das bandas que estão na modinha, não tenha vergonha de fazer novas amizades.. Não tenha medo! Ou melhor, tenha, mas os enfrente! Você pode, você consegue e pense sempre: o máximo que irá acontecer com você é pagar mico. E fia, deixa eu te contar, a gente sempre vai pagar mico, uns bem grandes até, então não se importe com isso, ria de si mesma e leve tudo na brincadeira, em breve tudo irá se tornar boas histórias para contar.
Algumas vezes eu digo que se eu soubesse teria curtido mais o ensino médio e só teria deixado pra estudar no 3º ano, mas agora que estou tendo essa chance de te dizer isso, não é isso que eu vou dizer. Porque eu sei que tudo que a gente passou nos levará para os caminhos que a gente realmente quis chegar. Não estou dizendo que todos seus planos irão dar certo, porque não irão, mas tudo que você plantar, você irá colher, então continue estudando porque isso te trará bons frutos. Eu sei que nem preciso te dizer para continuar lendo porque você não iria conseguir parar mesmo hahahaha Você não imagina o que a leitura te trará, até grandes amizades, fica a dica! ;)
Por fim, vou te dar mais um spoilerzinho.. esse será seu último ano nessa escola, então curta muuito que próximo ano será tudo novo e não se preocupe em ficar sozinha, você fará um bucado de amigos!

Um grande beijo, de seu eu de daqui a 10 anos.

quinta-feira, 20 de março de 2014

Need for Speed - O Filme

Finalmente estou de "férias", assim entre aspas porque são só duas semanas, mas não ficarei me lamentando, é melhor do que nada rs! Não consegui passar em tudo, mas também só reprovei uma (vamos ignorar o fato que era a cadeira mais importante do período :B). Mas acontece, período que vem eu recupero! Já comecei aproveitando bem as férias e depois de uns 4 meses sem ir ao cinema, matei a saudade kkkkkkk


Quando se trata de jogos de carros o primeiro que me vem em mente é o Need For Speed, foi o jogo de carro que eu mais gostei até agora e acreditem, eu ainda tenho o Underground 2 no meu notebook pra quando der vontade de jogar (assim como Counter Strike rs!). Mesmo com os gráficos não sendo muito bons, é bom pra matar a saudade de vez em quando. Eu já joguei vários jogos da série Need For Speed mas o que eu mais gostei foi o Underground, porque é à noite, podemos tunar os carros do modo como queremos,  não tem que fugir da polícia... enfim! Entre outras razões que eu não lembro exatamente agora e nem sei se os últimos jogos da série foram melhores, mas eu lembro que já joguei o Most Wanted e o Undercover e não gostei muito deles. Também não sei se é porque eu já estava acostumada com o estilo de Underground.
Por tudo isso, eu fiquei com muita vontade de ver Need For Speed - O Filme assim que eu soube que lançaria. E ao contrário do que poderia acontecer eu não fui esperando muita coisa, apenas ver alguns pegas de carros bons. Talvez por isso o filme tenha me agradado tanto. Para mim o filme não é o melhor do ano, não tem atuações dignas de Oscar e nem o roteiro é de se elogiar, até os diálogos eram bem ridiculozinhos, mas acontece que o filme funcionou. As corridas que tiveram foram muito boas, e aconteciam em ruas normais com carros passando e os "pega" rolando. E a forma como as cenas eram mostradas, ora no lugar do motorista, ora de fora do carro, além da cena que o carro capotou a qual vemos de dentro do carro. Isso foi bem interessante.
Eu só senti falta de carros mais tunados como os de Velozes e Furiosos e das corridas serem mais à noite. Mas o resto foi muito bom, bem diferente de Velozes e Furiosos que acho que só focou mesmo na parte dos carros no dois primeiros filmes, depois se tornou muito mais um filme de ação do que direcionado para carros. Além do que, encheu de "nhémnhémnhém", eu não quero ver "nhénhém" quando vou assistir esse tipo de filme eu quero ver carros turbinados com corridas de tirar o fôlego e cenas bem mentirosas mesmo. Por isso que os tipos de diálogos não incomodam tanto, porque o que eu queria eu tive. Eu queria que o filme fizesse sucesso só para que outros do mesmo gênero surgissem.
O 3D foi legal em algumas cenas, mas eu achei dispensável, dá pra economizar a grana e deixar pra ver em outro filme kkkkkkk

Resumindo, Need For Speed - O Filme cumpre o que promete e é um ótimo filme pra ver com os amigos e se divertir, não vá esperando grandes indagações da vida porque nesse filme você não terá isso. Claro que seria bem melhor se o roteiro e os diálogos fossem mais bem bolados, mas eu vou aguardar uma continuação e quem sabe não melhora?


sexta-feira, 7 de março de 2014

Meme (Rotaroots): 5 coisas para fazer em Recife

O Rotaroots é um grupo formado por blogueiros que desejam trazer o mundo blogueiro antigo, aquele em que os blogs famosos eram os que faziam layouts mais bonitos e que tinha aquela velha página "For you" no menu. Onde as postagens eram mais sobre o nosso cotidiano e dia-a-dia que sobre o look do dia ou o melhor make para a balada. Não é que não gostamos desses posts, mas veja bem, gostamos do toque pessoal de cada um e é isso que queremos resgatar. Blogar sem regras, sem obrigações, apenas porque gostamos! Para entrar no grupo do face é só clicar aqui
Antes de tudo eu gostaria de dizer que eu não sou nenhuma baladeira de plantão e nem frequento lugares tops ou seja, a minha lista vai ser baseada nas coisas que eu faço e que eu gosto, provavelmente nenhuma delas estará presente nos melhores do Veja Bares ou qualquer coisa do tipo kkkkkk.

#1 Recife Antigo
Não é só no carnaval que o Recife Antigo é bom, principalmente ultimamente quando o último prefeito assumiu o governo e tem investido na campanha "Eu Amo o Recife", a qual incentiva os recifenses a curtirem a cidade. Os dias de domingo no Marco-Zero, principalmente os últimos domingos de cada mês, agora têm muitos atrativos culturais, além dos que já são fixos como o prédio da Caixa Cultural, onde era o antigo banco da Caixa e agora abriga exposições de artes, fotografias, é uma beleza para conhecer. Tem também a Torre Malakoff que também tem exposições de artes. Tem uma loja de artesanato que fica bem no marco-zero também e tem coisas de preços variados. Andando pelas ruas dá pra encontrar apresentações de danças, feirinhas, comida boa (tapioca yumi!) e shows. Além de poder praticar esportes, tipo patins ou bicicleta por algumas áreas reservadas. E para incentivar ainda mais a prática de andar  de bicicleta, reservaram algumas faixas atravessando a cidade para as pessoas irem com segurança, foi bem legal porque é metade da rua só reservada pros ciclistas, ainda não fui, mas morro de vontade. Enfim, é um programinha de domingo bem bacana e que não dá nem chance de sentir aquele clima chato de domingo sabe? kkkkkk 

#2 Praia
Antes que me perguntem se eu não tenho medo do tubarão, eu tenho sim kkkkk e por isso não entro no mar. Mas isso não impede que eu vá à praia para caminhar ou sentar na areia e ficar lá de boa conversando e me bronzeando. Faz tempo que não faço isso, mas com as férias chegando, vamos ver se consigo pegar um bronzeado.

#3 Parque Dona Lindu
Fica na praia, em frente à praia para dizer melhor, mas é diferente porque normalmente eu vou (ou ia, faz tempo que não vou, faculdade é um saco kkkkk) para encontrar as amigas, conversar, tocar violão, comer milho cozido (kkkkk) e ficar observando as criancinhas brincando :P Também tem shows lá de vez em quando, o último que fui foi o da Orquestra Sinfônica Brasileira com participação do Lenine, foi uma coisa linda de viver!

#4 Barzinho
Esses paparazzi que não me deixam em paz..

Eu adoro ir pra barzinho, principalmente pra assistir alguma luta (menos as do Anderson Silva, porque né?! sem comentários) eu não tenho nenhum preferido porque sempre vou em algum diferente, pra conhecer sabe? kkkkkk E também porque depende de com quem vou, se for com o pessoal aqui de casa normalmente é algum por aqui pela zona sul, mas às vezes vou com alguns amigos aí normalmente é lá pela zona norte.. enfim! Acho que essa é válida em qualquer cidade do Brasil né?! Mas como falei é o que eu gosto de fazer rs!

#5 Açaí
Olhando assim parece até que eu sou viciada em açaí, só que não! kkkkkk Eu nem gosto muito e só como roubando dos amigos hehe Mas é aquele programa de faculdade sabe? Sexta-feira depois da aula, "Ah, vamos tomar açaí?". Acabou as provas, "Ah, vamos tomar açaí?", véspera de feriado "Ah, vamos tomar açaí?". Deu pra entender né? kkkkk A gente sempre vai ao Karpa Burguer que fica bem perto da UFPE e é bom e barato, aí ao invés de açaí eu peço hamburguer e os amigos pedem harburguer E açaí, pior que tem gente que ainda pede a tigela grande, não perguntem, não sei como aguentam xD

Bônus: #6 Alto da Sé
Não é exatamente do Alto da Sé, é quase lá, na casa da minha amiga

Respeitando o meu habitual desrespeito a memes, eu tinha que fazer essa menção honrosa à Olinda, que nem é em Recife, mas  veja bem, está na região metropolitana do Recife e é razoavelmente "perto". Também é legal para ir aos domingos, mas vale sábado, ou à noite, no carnaval, sem ser no carnaval, enfim! É ótimo subir as ladeiras (sqn! kkkkk mas vale a pena) e ter aquela vista que faz jus ao nome, Olinda mesmo! Lá tem lojinhas de artesanatos, umas feirinhas também, inclusive com comida, tapioca (ê \o/) e acarajé (me acabo). E às vezes tem uns grupos de capoeira, ou de alguma coisa fazendo umas interpretações meio doidas kkkkk mas é legal pra conversar, ir com os amigos, enfim! 

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

As últimas semanas

Eu comecei o ano bem, postando constantemente e tava bem empolgada com isso, mas o fim do período foi chegando e infelizmente as coisas desandaram por aqui. Para não deixar tudo às moscas resolvi vim atualizar com as coisas que me aconteceram nas últimas semanas.

De repente 20
Pois é, foi assim sem querer, sem eu esperar, quando eu vi "puft!", estava completando 20 anos, foi no dia 1º de fevereiro. Eu tinha planejado fazer um post todo amor sobre isso mas.. sabe como é né! hehe :B Eu não acho que estou exatamente da mesma forma que eu me imaginei que seria nessa idade, apesar disso eu acredito que aquela criança que eu fui se orgulharia de quem sou agora e sei que já conquistei várias coisas que eu me propus e pretendo continuar assim. Que venham a década dos 20, que venha a vida adulta, que venham mais 20 e 20 anos..

Jogos Vorazes 2
Depois de já ter perdido a graça e nem ser mais novidade eu finalmente consigo assistir o filme e ainda foi "por partes". Eu não tive tempo de assistir todo num dia, aí deixei pra outro, aí depois deixei pra outro.. enfim! Odeio assistir filme assim, mas eu estava com tanta vontade de assistir que acabei topando ver assim mesmo. Adorei o filme, bem melhor do que o primeiro e o terceiro promete hein! Assim que eu entrar de férias (o que deve acontecer lá pro dia 15 de março) eu o verei novamente e dessa vez sem ser em partes.

Desabafo
Esse período da faculdade está sendo muito difícil para mim, foi o pior período pelo qual passei até agora e estou realmente com medo de reprovar em alguma matéria (ou até mais de uma) nesse semestre, o que ainda não havia acontecido comigo. Eu não acho que seja somente culpa minha, até porque o que mais faço nessa vida é estudar e abdicar de coisas que gosto de fazer para dar prioridade a faculdade, e ainda assim parece não ser suficiente. O que me leva a questão de cursar um período em praticamente 3 meses. Me revolta muito o fato de que por conta da greve que teve ano retrasado e não bastasse o fato de estarmos atrasados com o curso e em relação a outras faculdades, ainda por cima acontece isso de diminuírem o calendário acadêmico, e nós, estudantes, saímos como os principais prejudicados. Na área II que é o prédio da minha faculdade onde temos as disciplinas básicas do curso (Cálculo, Física, Álgebra Linear..) tem normalmente 3 unidades, ou seja, 3 provas, nas quais os assuntos eram bem divididos. Agora, por conta do aperto do calendário, a área II simplesmente diminuiu para 2 unidades, ou seja, mais conteúdo em apenas 2 provas. Eu já estou cursando as últimas disciplinas do básico mas imagino o quão ruim está sendo para os alunos que estão pagando matérias com muito conteúdo como Geometria Analítica, Física 3 ou até mesmo qualquer Cálculo. É muita sacanagem.
O resultado dá para ver conversando com os alunos, praticamente todos muito preocupados com as notas, estressados, estudando, estudando e estudando um pouco mais e ainda parece que não é suficiente. Estou tendo provas toda semana e como faz para aprender o assunto em apenas alguns dias antes da prova? Tá difícil viu..



Até mais pessoal, não sei até quando, mas.. I'll be back!

P.S.: Desculpem o post meio bagunçado, eu fiz nas pressas.

sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

A Senhora da Magia - Marion Zimmer Bradley

Neste enorme e emocionante romance, a lenda do rei Artur é contada pela primeira vez através das vidas, das visões e da percepção das mulheres que nela tiveram um papel central. Igraine, Viviane, Guinevere, Morgana. Elas revelam, com as suas vidas e sentimentos, a lenda de Artur, como se fosse nova e, ao mesmo tempo, levam o leitor a integrar-se na história, de maneira natural e profunda. Assim, esta obra proporciona uma narrativa soberba de uma lenda, e a recriação dessa lenda, bem como a brilhante contribuição para a literatura do ciclo arturiano.

A Senhora da Magia não foi exatamente o primeiro livro que li em 2014 porque eu o terminei em 2014 mas já tinha começado em 2013, então ficou meio a meio. Mesmo assim eu não o incluí na retrospectiva literária porque não achava justo já que eu ainda estava na metade. Ainda bem que eu fiz isso, porque lá pela metade do livro eu estava achando tudo uma chatice, cheguei a odiá-lo em uma parte. Não conseguia entender o porquê de estar odiando tanto e as pessoas terem falado tão bem do livro, o Skoob estava recheado de resenhas positivas sobre ele. Fiquei até me perguntando o que faria com os outros 3 livros que já tenho da série... apesar disso, não desisti da leitura e fui lendo, fui lendo até que ao terminar o livro acabei gostando. A Morgana foi me cativando e exatamente a forma como o livro acabou me conquistou. O que foi fundamental para que eu queira ler os próximos livros. Realmente espero coisas boas deles.
Bom, eu já sabia que As Brumas de Avalon era uma série contada pelo ponto de vista feminino das mulheres "ao redor" do Rei Arthur e achava que estava preparada para isso, mas não. Por causa disso ficamos distante das guerras e da ação, é tudo mais ligado aos "bastidores" da conquista de Arthur. As mulheres são decisivas para isso.
Pode parecer legal se visto por um ângulo mas é bem chato por outro, porque as mulheres da série, pelo menos inicialmente, parecem ser bem "idiotas" e com atitudes imaturas. Foi depois de analisar um pouco que elas realmente tiveram que crescer rápido demais e não tiveram muitas escolhas sobre as vidas delas que eu fui compreendendo o lado delas e deixei de julgar tanto. Isso foi fundamental para a minha mudança de posição em relação a Morgana que ao final do livro se tornou a minha personagem favorita. Estou louca para saber a continuação de sua história.
Outro fator que é bastante presente no livro é a magia referente à Avalon. Não é uma magia legal como a de Harry Potter ou outros livros sobrenaturais, mas é uma coisa meio tosca que em vários momentos eu fiquei "What the fuck?!". Tem uns rituais lá pelo meio do livro que são bem esquisitos e não foi nada agradável de se ler, pelo menos para mim. Não foi daquela forma de me fazer ficar fascinada sabe? Mas sim enojada! Enfim, essa parte passou e eu superei, rs!
Também foi perceptível o foco feminista e contra a Igreja Católica que a autora assume. Posso dizer que é um pouco exagerado e incomoda em alguns momentos, pela forma com que ela ao mesmo tempo que mostra-se contra a visão fechada, o conservadorismo e a opressão praticada pela Igreja e pelos homens para com as mulheres, fala da deusa de Avalon como uma deusa boa, e não-opressiva, mas que não é isso que vemos no desenrolar da história, já que a deusa já tem tudo planejado e que todo mundo já tem o destino certo, ninguém tem o direito do livre-arbítrio.

Apesar do livro ter terminado de uma forma que eu gostei ainda acho que precisa melhorar bastante nos próximos livros para fazer jus ao tanto que falam dessa série, espero realmente que isso aconteça.

Até mais, pessoal :*

quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

A arte de ler coisas alheias

Eu não sei vocês, mas eu adoro ler aquelas mensagens que alguém deixa atrás de portas de banheiro, em bancas de sala de aula ou em qualquer lugar "riscável". Uma vez eu até já quebrei a cara com uma mensagem justamente para os curiosos de plantão, algo com uma letra minúscula escrita de lado, daí quando eu fiz todo um esforço pra ler, me deparo com algo do tipo: "Deixa de ser curioso!" ¬¬ Pow, deixa tu de ser idiota kkkkkkkk  Não sei quem é pior, se sou eu que paro pra ler essas coisas ou quem se deu o trabalho de escrever isso. Mas o fato é que essa mania eu não perco. Essa semana na biblioteca encontrei frases muito dignas de um post e tirei foto de todas. Eis as célebres frases:

" I have a dream... that one day, I will shut my PC, open my damn book and start studying..."
 Essa é uma das quais eu me identifico totalmente hahahaha! Ri muito quando a li e ainda mais com o "Serta!" que alguma outra pessoa escreveu em baixo, ali no cantinho se vocês repararem..

"Maldito são os fracos pois eles herdaram os restos"?
Será uma citação de livro, filme ou música? vai saber...

"O que é pior: o medo ou a incerteza?"
Para refletir...

"It's the basic truth of the human's condition that EVERYBODY LIES!"
 E a maioria das pessoas achando que o povo de Engenharia só sabe fazer contas.. hahahah Ah, reparem em baixo onde mais uma vez acrescentaram "Including YOU" hahahaha adoro!

"Algumas pessoas olham para as coisas e perguntam porque? Eu sonho com coisas que nunca existiram e pergunto porque não? (Geroge Bernard Shan)
Muito boa a citação, mas acho que só quis bolar pra dizer que é O engenheiro! kkkkkkk E ainda deixou o autor...

"Tudo se desestrutura pra você se estruturar"
Ta com depressão, amigo?!

"ACREDITE"
EU ACREDITO

"Twenty five years and my life is still..."
Fale não.. vou fazer 20 esse ano e já to prevendo depresssão pré aniversário! xD

"3 coisas que eu odeio: - Vandalismo; - Hipocrisia; - Listas"
Totalmente me identifiquei com você amigo, porque eu também odeio 3 coisas: Vandalismo, hipocrisia e quem tira foto das citações alheias e posta no blog! ;D
Esse foi um dos melhores, estava escrita numa banca de sala de aula. Eu e meus amigos até postamos no Spotted da UFPE hahahahha só de brinks!

Tiveram muitos outros que eu já vi, incluindo uma música da Anitta, acho que foi Meiga e Abusada.. era quase a música toda escrita! O melhor foi alguém que escreveu em baixo pra pessoa se dar o valor ou algo do tipo hahahahah quase que eu escrevia em baixo "sinto cheiro de recalque.." hahahaha
Já vi outras letras de músicas, como essa: "and the worms ate my brains", que eu anotei e fui pesquisar no google. Descobri que era uma música do Pink Floyd chamada Hey You e que o certo é "and the worms ate into his brains".Outras mensagens que sempre tem são as de putaria, mas essas eu ignoro.
Eu sei que não é uma coisa muito útil a se fazer, buuut... don't judge me! E é uma coisa que eu adoro, sei lá.. você se identificar com aquilo, saber que outras pessoas gostam das mesmas citações de músicas que você, ou até mesmo descobri músicas novas como foi o caso da de Pink Floyd...
Acho meio difícil, mas se alguém tiver a mesma mania que eu compartilha as coisas aí, vou adorar!! hahahaha

Beijos e até mais! (Obs.: dois posts em menos de uma semana \o/ Vamos ignorar o fato que eu devia estar estudando para prova de Circuitos hehe :B)

sábado, 4 de janeiro de 2014

Retrospectiva Literária 2013

Vai chegando o fim/início de ano e o post que eu fico mais empolgada para fazer é o da retrospectiva literária. Eu fiz uma no ano passado e adorei, então por isso mal podia esperar para fazer a do ano de 2013. Não que seja um fato para me orgulhar, já que eu li míseros 9 livros durante todo esse ano. Mas 3 períodos da faculdade em um ano não é brincadeira e eu mal tive férias, então... acho que estou perdoada! Eu tenho fé que nesse ano as coisas se ajustem e eu consiga ler mais.
Lembrando que essa retrospectiva eu "roubei" do blog Sem Formol Não Alisa no ano passado, mas acho que ela já tinha pego a ideia de outro blog, não sei quem começou então vai ficar sem os devidos créditos xD Créditos do meme para a Tary do Doces Rodopios.

Apesar do baixo número consegui cumprir uma boa parte da meta que eu tinha na última retrospectiva, vamos à lista:

O Enigma do Oito (Katherine Neville)
Clarissa (Érico Veríssimo)
A Batalha do Labirinto (Rick Riordan)
Rei Arthur (Frank Thompson)
Virando o Jogo (Mônica de Castro pelo espírito Leonel)
O Circo da Noite (Erin Morgenstern)
Amy, Minha Filha (Mitch Winehouse)
Crime e Castigo (Fiódor Dostoiévski)

Lidos em 2013


O casal mais apaixonante
Eu não li muitos livros com romance esse ano, por isso mesmo sou obrigada a escolher Celia e Marco de O Circo da Noite. Apesar de não formarem o casal mais apaixonante dos livros que já li, esses dois puderam proporcionar um ao outro salas de espelhos, um jardim de gelo e tudo o mais que truques de mágicas possam ajudar a realizar. Desde pequenos, os dois foram criados com um único objetivo de derrotar o outro, a última coisa que podia acontecer, aconteceu, eles se apaixonaram. O livro é meio complicado de tentar explicar e é alta a probabilidade de vocês acabarem entendendo uma coisa diferente do que é, então só lendo mesmo pra saber.

Virei a noite lendo
Hm... Vou ficar com A Batalha do Labirinto. Os livros da série Percy Jackson são muito instigantes e facilmente conseguem prender minha atenção, é difícil largar o livro. A razão disso são as aventuras pelas quais os personagens passam durante o livro, além de é claro ter a mitologia grega que, como diria o rei do camarote, agrega muito valor ao livro. rs!

Chorei de soluçar
Não li nenhum livro que tivesse uma grande peso emocional nesse ano. Mas vou ficar com Amy, Minha Filha por que é um livro que realmente emociona em algum momento. Acredito que desde o início quando o pai começa narrando a infância da Amy. Não era fã de carteirinha da Amy, nem fui ao show dela que teve aqui pouco antes de sua morte, mas eu gosto muitos de suas músicas e quando lançou o livro fiquei com vontade de ler. Acredito que todo mundo tem uma história pra contar, acho ignorância de alguém não ler um livro porque "é de uma maconheira, alcoólatra", até porque todos nós temos defeitos, passamos por problemas e não devemos julgar os outros. Além disso, é válido ler nem que seja para não repetir os mesmos erros. Mas é claro que também respeito quem não sente vontade em ler, até porque nem todo mundo gostava dela.

Decepção do ano
Sem dúvidas, O Enigma do Oito. O livro até começa bem interessante e tinha uma boa premissa, mas não soube desenvolver bem. Fiz um post sobre ele aqui.

Livro irrelevante do ano
Clarissa de Érico Veríssimo. Foi um livro que eu comprei meio sem querer pra completar o valor do frete grátis e também porque era um livro brasileiro, que eu tinha me proposto a ler na retrospectiva literária do ano passado. Além disso, é do Érico Veríssimo. O livro é bom, tem uma leitura bem agradável, com alguns momentos de reflexões, mas nada que pôde me marcar muito.

Grifei
Eu não grifo meus livros, às vezes quando vejo alguma passagem interessante anoto num caderninho. Mas acho que não fiz isso com nenhum dos livros que eu li esse ano.

O pior livro de 2013
O Enigma do Oito. Razões já supracitadas.

Soco no estômago
Crime e Castigo. Porque ele faz a gente ver o outro lado da coisa. Em vários momentos eu tive pena do criminoso e até torci por ele. O autor faz esse jogo com o leitor, será que o pior é realmente cumprir a pena, ir preso, ou a culpa e o remorso já não são castigos piores.
Diante da realidade do personagem a gente até busca justificativas para o ato criminoso, o que realmente me fez ficar pensando bastante já que eu tenho uma "coisa de justiça" muito forte e sempre achei que "quem fez tem que pagar". Não que eu tenha mudado de ideia agora, mas não tenho mais aquela certeza absoluta.

O mais chato
Foi O Enigma do Oito, pelos mesmos motivos que já citei. Um livro enoorme que eu me obriguei a ler, demorei um tempão e acabei nem gostando.

Abandonei
Eu comecei A Estrada da Noite de Joe Hill e não terminei, mas eu tava logo no início não acredito que seja ruim, só não tava na vibe do livro. Provavelmente lerei em 2014.

Morri de rir
Não teve nenhum, mas vou colocar A Batalha do Labirinto porque é o mais próximo de comédia que tem.

Aventura, Fantasia ou infanto-juvenil
Os Contos de Beedle, O Bardo. Tudo relacionado a Harry Potter com certeza vai fazer meu coração vibrar. Além de ser super bacana relembrar o mundo dos bruxos, ainda tem comentários do Dumbledore sobre alguns contos. O que mais gostei foi A Fonte da Sorte.

Bate bola de personagens

- personagem masculino mais apaixonante: Arthur de Rei Arhur.
- personagem feminina admirável: Sônia de Crime e Castigo. Por tudo que ela passou e ainda assim permaneceu uma pessoa boa e humilde. Depois de ter se prostituído, praticamente obrigada, não por alguém, mas pela situação da família, ela podia ter se tornado uma pessoa amarga, ter virado as costas pra família ou até mesmo pra Raskolnikov, mas não. Foi até o fim com ele.
- personagem mais chato: Guinevere de Rei Arthur. Eu nunca fui com a cara dela então por falta de um mais chato vai ela mesmo.
- personagem mais legal: Bailey de O Circo da Noite. Não é um dos personagens principais mas eu adorei ele. Inicialmente por ter se encantado tanto com o circo e depois por ter seguido seu sonho e ido atrás do que lhe fazia feliz.
- personagem mais pertubador: Amaro de Clarissa. Não sabia bem quem escolher então escolhi ele porque ele é um personagem que dá agonia. Ele fica vivendo a sua vida sem novidades, sem paixão sabe? naquela mesmice de sempre. Quase não fala, quase não come, quase não vive, quase.. ô palavrinha sem graça, assim como o Amaro.
- personagem que mais me identifiquei: Essa eu pulo, rs!

Melhor livro de 2013
Crime e Castigo de Fiódor Dostoiévski. Não apenas por ser um clássico da literatura e blábláblá. Acho tão chato quem faz uma resenha apenas dizendo isso como se isso já justificasse o porque de o livro ser bom. Gosto mais de uma crítica isolada mas com argumentos do que de um elogio sem argumento algum. Mas enfim, não é sobre isso que devo falar aqui e sim tentar explicar o porquê de Crime e Castigo ter sido o eleito do ano.
Primeiramente devo destacar o número reduzido de livros que li, em segundo lugar também devo destacar que ando sem ler livros daqueles que me prendem e eu não consigo largar, daqueles livros que marcam mesmo sabe? Por essas razões foi difícil fazer essa retrospectiva e mais ainda escolher o melhor do ano.
Finalmente, Crime e Castigo foi o melhor livro que li em 2013 pela história intrigante que proporciona, pelos personagens marcantes e bem construídos, pelos diálogos dificeis de entender mas que quando bem compreendidos agregavam muito à história e por ter contando uma história não tão original assim mas com um ponto de vista sim, bem original e muito bem construído.

Ano passado eu tinha me proposto terminar de ler os livros que eu tinha na minha estante, um fato que não consegui. Mas também tinha me proposto a ler pelo menos um livro brasileiro o que consegui, com o livro Clarissa e Virando o Jogo. Não estou satisfeita com apenas dois livros brasileiros, vou tentar melhorar esse número esse ano, assim como a quantidade de livros no total. Não gosto de fazer meta de leitura como aquela do Skoob porque eu sei que não vou cumprir e vou ficar decepcionada rs! Prefiro manter a meta de acabar com os livros não-lidos que tenho na estante, vou me propor a ler 3 livros nacionais dessa vez e 1 clássico.

É isso, quem também fez retrospectiva me manda aí que eu adoro, até mais! :*