domingo, 21 de setembro de 2014

The Fault in Our Stars - John Green


Eu já estava querendo ler A Culpa é das Estrelas há um bom tempo e aproveitei que é um livro adolescente para treinar meu inglês. Meu segundo livro em inglês, iupii \o/
Minha alegria acaba por aí, não estou fazendo um paralelo com o livro, por se tratar de uma história triste, mas sim, porque eu realmente esperava mais do livro. Até a metade dele eu não estava gostando, de início parecia que aquela lentidão e falta de desenvolvimento na história parecia ser só pra nos ambientar, mas aos poucos eu fui vendo que não. Na metade do livro eu já estava achando tudo muito besta, não tinha nem mais interesse em ler o livro.. Só terminei porque duas pessoas as quais eu havia comentado que estava lendo me perguntaram se eu sabia o final do livro e aí eu desconfiei "Opa, acontece algo inesperado no fim do livro". E além disso porque eu realmente tinha esperança de que a coisa melhorasse, e melhorou! O final é mais emocionante, não me chegou fazer chorar e nem me emocionar taanto, mas melhora. E pelo menos para mim foi inesperado. Apesar disso, ainda dei 3 estrelas de 5 no Skoob, por pouco não dei 2 kkkkkk.

[SPOILER]
Para mim o auge da chatice foi durante a viagem de Amsterdam quando eles se encontram com o autor de An Imperial Affliction, o livro preferido da Hazel. Sabe.. muito sem noção e o cara é um chatice também. Enfim! Ai depois eles tem o primeiro beijo e depois a primeira vez, e eu: "Ta e daí?" Sabe? Não senti emoção, não como em outros livros do mesmo estilo.
[FIM DO SPOILER]

Eu ainda não assisti ao filme, estava esperando terminar o livro. Mas duas amigas minhas já tinham me dito que gostaram mais do filme que do livro, uma delas me disse que não achou o livro lá essas coisas e mais outras duas amigas minhas também tinham me dito a mesma coisa. Sendo que uma dessas nem ao menos terminou o livro. Daí, eu já não fui esperando grande coisa então não acho que esse meu desgosto pelo livro tenha sido por grandes expectativas. E nem por querer bancar a adulta dizendo que o filme é besta, porque é infantil e blábláblá. Eu adoro os livros de Percy Jackson, por exemplo, que são livros infantis e assumo para todo mundo isso. Inclusive já li outros do mesmo estilo que A Culpa é das Estrelas e tive outra opinião, o próprio The Perks of Being a Wallflower que eu li há um tempo atrás também é um drama adolescente e eu adorei. A razão pela qual eu me decepcionei com o livro talvez tenha sido a emoção que ele não trouxe pra mim, não sei, talvez a forma como o autor escreve, não sei. Fiquei tentando achar alguma razão específica, mas não consegui. Mas eu ainda não perdi esperanças no filme, acho que deve ser legal mesmo e também vou dar outra chance para o John Green. Até porque o livro não foi ruim, mas podia ser bem melhor kkkkkk.

A maioria dos trechos bons do livro já circulam por aí há séculos, mas um que eu gostei e nunca tinha visto relacionada ao livro foi: "That's the thing about pain, it demands to be felt."

Em breve volto dizendo o que achei do filme. Beijos e até mais! :*

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Quando alguém do outro lado do mundo diz muito sobre você...


"Eu tenho medo de tudo. Estive lendo livros de psicologia para tentar descobrir o porquê. Logicamente, eu sei que está tudo bem. Eu sei que tenho apenas vinte anos, e eu tenho tantas bênçãos e vantagens. Mas eu estou com medo de não ter feito o suficiente ainda. Tenho medo do futuro. Medo de envelhecer. Medo de ficar sozinha. Medo de ter um filho. E medo do escuro. Eu tenho muito, muito medo do escuro. "

(Kiev, Ucrânia)

Para quem ainda não curte essa página, eu recomendo: Humans of New York.

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Filmes do fim de semana

Desde o dia 19 de agosto que estou de férias e só agora conseguir criar coragem pra voltar aqui. Esse período da faculdade foi bem intenso e eu estava precisando de um tempinho pra descansar e sair! :D Maas, o que interessa é que eu estou aqui e eu vim falar dos filmes que assisti esse fim de semana, vamos lá.

A Menina que Roubava Livros (The Book Thief)

Ano: 2014
Duração: 131 minutos
Gênero: Drama, Guerra
Direção: Brian Percival
Sinopse: Enquanto submetida aos horrores da Segunda Guerra Mundial na Alemanha, a jovem Liesel encontra consolo roubando livros e os compartilhando com outras pessoas. No porão de sua casa, um refugiado judeu está sendo protegido por seus pais adotivos.

Minha opinião: Eu me pergunto por que demorei tanto pra assistir a esse filme já que é um dos meus livros preferidos. Eu o li somente uma vez e foi mais ou menos quando eu tava no 1º ano do Ensino Médio, por aí.. e agora já vou pro 6º período da faculdade, então faz bastante tempo. Por essa razão, não lembrava muito dos detalhes, mas ao assistir ao filme o mesmo sentimento de quando li o livro foi me tomando, fui relembrando da história e no fim adorei o filme. Acho que captou bem a essência do livro e os personagens foram bem representados pelos atores. As escolhas foram ótimas! Bom, deixando de lado essa comparação que é inevitável entre o livro e o filme, o filme é triste, se passa na Alemanha da Segunda Guerra Mundial, mas mesmo assim é muito bom e eu recomendo!

Mistério da Rua 7 (Vanishing on 7th Street)

Ano: 2010
Duração: 90 minutos
Gênero: Mistério, Suspense
Direção: Brad Anderson
Sinopse: O filme mostra o que acontece após um misterioso blecaute onde a maior parte da população desaparece no ar. Enquanto os poucos sobreviventes acabam em um bar tentando descobrir o que está acontecendo, a escuridão volta para buscá-los um a um.

Minha opinião: Tinha tudo pra ser bom, mas cagaram com o filme. Não houve um desenvolvimento da história sabe? Ficou sempre na mesma coisa, a gente tava sempre esperando algo acontecer e nada acontecia. E quando acontecia era bem sem graça, sei lá. Não me empolgou!



Sim Senhor! (Yes Man)

Ano: 2008
Duração: 104 minutos
Gênero: Comédia, Romance
Direção: Peyton Reed
Sinopse: A trama conta a estranha jornada de um homem (Jim Carrey) que, cansado de perder oportunidades na vida, resolve dizer "sim" para tudo o que lhe aparece durante um ano, levando-o a uma série de situações absurdas e pitorescas.

Minha opinião: Depois de tanta insistência do meu irmão, acabei vendo agora há pouco e adorei o filme. Não traz profundas interpretações da vida, nem nada do tipo, pelo contrário, é bem leve e tem a comédia do Jim Carrey. Mas isso foi uma forma legal de querer passar a mensagem do filme, que é não de dizer "sim" pra tudo, mas de não dizer "não" pra tudo. Às vezes perdemos muita coisa na vida simplesmente por medo do novo, de sair da rotina.. mas a graça da vida é justamente essa. E coisas boas só podem acontecer com a gente se tentarmos coisas novas. Coisas ruins irão acontecer também, mas elas irão acontecer de um modo ou de outro, então é melhor que aconteçam quando a gente está em busca de algo. Eu tô numa vibe bem parecida com esse filme ultimamente e talvez por isso tenha gostado tanto.. não é o melhor filme do mundo, nem essa premissa é tão original assim,  mas é bem legal! 

Até mais! :D

(Fonte: Filmow e IMDb)